.
Chippu - A dica do momento

Disponível nas lojas


.
.
.

The Mandalorian | 10 melhores momentos da 2ª temporada

Dave Filoni e Jon Favreau trazem inúmeros pontos altos no segundo ano da série

Esse texto contém spoilers de The Mandalorian.


Dificilmente será possível não atribuir a The Mandalorian o título de série do ano. A jornada de Din Djarin e Baby Yoda cativou os combalidos fãs de Star Wars e trouxe novos olhares apaixonados à saga criada por George Lucas, principalmente pelo trabalho de Dave Filoni e Jon Favreau. A segunda temporada trouxe inúmeros pontos altos fazendo com que a cada sexta-feira o assunto nas redes sociais fosse um só. Depois do episódio final, O Resgate, o Chippu vai relembrar 10 grandes momentos do segundo ano da série.


10- Bo-Katan faz sua estreia em live-action
Desde que o Dark Saber apareceu nas mãos do Moff Gideon ao fim da primeira temporada, ficou claro estávamos em rota de colisão com as histórias de Clone Wars e Rebels, as duas séries animadas comandadas por Dave Filoni, que junto com Jon Favreau está na direção criativa de The Mandalorian. No terceiro episódio, A Herdeira, Bo-Katan faz sua estreia em live-action, interpretada pela mesma pessoa que deu voz à personagem na animação, Katee Sackoff. A primeira aparição, além de impactante, serve para informar a Mando que Ahsoka pode ser encontrada em Corvus.


9- Baby Yoda e os biscoitos azuis
Baby Yoda traz a atenção de “O Cerco”, quarto episódio da temporada, para si quando come os macarons azuis. A cena foi retratada e virou capa da revista Empire. Em uma entrevista ao programa de culinária do YouTube Binging With Babish, Jon Favreau contou: Josh Roth, nosso criador de objetos, veio até nós e me perguntou ‘como esses biscoitos seriam?’ Se você olhar no final dos créditos, temos várias artes da produção então você pode ver como achamos que ele seria parecido. Queríamos que fosse azul, porque era tipo leite azul. Ele então acabou fazendo macarons para a gente, mas não um macaron inteiro, não o sanduíche, somente tipo, metade do sanduiche”.


8- Cara Dune, oficial da Nova República
Cara Dune (Gina Carano), se transformou na Xerife de Nevarro. Quando Mando faz uma pausa no local antes de ir à busca de Ahsoka, percebe-se que o lugar está totalmente diferente, passando a ter esperança, com mais justiça e sem espaços para os malfeitores. No final do quarto episódio, ela vira uma oficial da Nova República, o que serve como ponte de conexão com a série Rangers of the New Republic.


7- Chegada de Ahsoka Tano
Com menos de um minuto do quinto episódio, Ahsoka Tano entra em cena com seus dois sabres de luz brancos. Interpretada por Rosario Dawson, foi a primeira vez que vimos um Jedi (tecnicamente ex-Jedi) que sabe como usar plenamente a Força em ação. Ahsoka serve para avançar a história, até então, pois encaminha o Mandaloriano para o planeta Tython - um local de extrema conexão com a Força no universo expandido antigo, resgatado para a série por Favreau e Filoni.


6- O nome de Baby Yoda é revelado
Ainda no quinto episódio, descobrimos que o Baby Yoda tem um nome - Grogu - e que ele foi treinado por "vários mestres" no templo Jedi de Coruscant antes do surgimento do Império, quando alguém o levou de lá e o escondeu para sua segurança. Depois disso, o personagem passou por momentos sombrios e criou um medo de usar a Força. Para ele, esconder os poderes é uma técnica de sobrevivência.


5- Boba Fett recupera sua armadura
Em “A Tragédia”, já estamos nas ruínas Jedi com o Mandaloriano e Baby Yoda sentado na rocha, se conectando com a Força. Pouco tempo depois, a Slave 1 de Boba Fett se aproxima com o caçador de recompensas e Fennec Shand (Ming-Na Wen). No sexto episódio, Boba Fett brilha como nunca, batalhando com os Stormtroopers primeiro sem sua armadura clássica - o que não o impede de chutar muita bunda - e depois vestindo seu clássico uniforme, que é quando o diretor Robert Rodriguez realmente começa a brincar e mostrar que sim, todo o hype em cima desse personagem é mais do que merecido.


4- O roubo de caminhão no penúltimo episódio
Mando (Pedro Pascal) e Mayfield (Bill Burr) precisam se infiltrar em uma base do Império para conseguir as coordenadas da nave de Moff Gideon. O sétimo episódio, dirigido por Rick Famuyiwa, que retorna à cadeira de diretor após a primeira temporada, mostra a ação com clareza e retirando dos protagonistas as soluções fáceis para a solução ao tirar a armadura e armas do Mandaloriano. Famuyiwa filma tudo com muita certeza e dinamismo, particularmente numa cena de perseguição que está entre as mais legais da série.


3- Din Djarin vs. Moff Gideon
“Você tem algo que eu quero. Você pode achar que tem ideia do que possui, mas não tem. Logo, ele estará de volta comigo. Significa mais para mim do que seria capaz de saber”. Ao fim do penúltimo episódio, “O Que Acredita”, Din Djarin manda uma mensagem para Moff Gideon usando as mesmas palavras que o vilão usou para intimidá-lo no capítulo final da primeira temporada. Em “O Resgate”, após se reunir com Bo-Katan, o ataque começa e chegamos ao núcleo do episódio, que mistura os conflitos internos dos mandalorianos com a luta contra Moff Gideon através de ótimas cenas de ação, culminando com o grande combate entre Mando e sua lança de Beskar contra o Dark Saber. São momentos empolgantes e bem dirigidos por Peyton Reed, dando a cada personagem uma personalidade inclusive no estilo de luta e colocando todas as armas e equipamentos que se destacaram na série até hoje em foco.


2- O retorno de Luke Skywalker
Primeiro é uma X-Wing chegando. Depois um Jedi visto nas câmeras preto-e-branco da nave. Quando a luva e o sabre verde aparecem, está mais do que claro. Luke Skywalker foi o Jedi que Grogu conseguiu contatar em The Tragedy. E no momento de maior empolgação da série até aqui, o personagem de Mark Hamill - recriado em sua juventude de maneira digital - entra em ação na sua maior aparição em Star Wars fora dos filmes principais da saga, destruindo os Dark Troopers como se fossem apenas pedaços de sucata.

A aparição de Luke faz duas coisas. Primeiro, dá ao personagem o tipo de cena de ação que sempre sonhamos em ver, de modo semelhante ao que Rogue One faz com Darth Vader.


1- Mando tirando capacete para despedida com Grogu
Din Djarin já tirou o capacete na série antes, mas sempre porque foi forçado. Aqui ele tira para que o Baby Yoda veja e toque em sua face. É uma declaração do personagem que reforça que suas prioridades agora são outras e seu relacionamento com Grogu vem antes do legalismo mandaloriano. Até mesmo Ludwig Göransson, compositor da série, confessou que chorou ao ver essa cena.