.
Chippu - A dica do momento

Disponível nas lojas


.
.
.

Scarlett Johansson v. Disney: Entenda o processo da Viúva Negra

Em história de abalar Hollywood, estrela do cinema processa o estúdio da Marvel

A maior história em Hollywood nessa semana é que Scarlett Johansson, estrela e produtora de Viúva Negra, está processando a Disney por conta do lançamento híbrido do longa-metragem. O filme do Marvel Studios estreou em 9 de julho nos cinemas e no serviço de streaming Disney+, onde foi disponibilizado com o selo Premier Access por R$ 69,90 no Brasil. Isto, argumentam os advogados da atriz, foi uma violação do seu contrato.


Por que Scarlett Johansson está processando a Disney?


Segundo o documento, parte do salário de Johansson para o filme era baseado no desempenho do mesmo na bilheteria mundial. Apesar da boa estreia, na qual Viúva Negra arrecadou US$ 158 milhões vindos do cinema e mais US$ 60 milhões do Disney+, o longa-metragem teve a maior queda de uma produção do Marvel Studios nos Estados Unidos, reduzindo seu faturamento em 67% no segundo fim de semana.


Por conta disso, explica o processo, Johansson teria deixado de ganhar US$ 50 milhões e a Disney teria violado seu contrato com o Marvel Studios, que estipulava um lançamento exclusivo de Viúva Negra nos cinemas, sem deixar espaço para uma estreia simultânea.


Como a Disney respondeu?


A resposta da Disney à Johansson foi dura. O estúdio divulgou uma declaração afirmando que "cumpriu totalmente com sua parte no contrato da Sra. Johansson e, para adicionar, o lançamento de Viúva Negra no Disney+ com o Premier Access aumentou significativamente sua capacidade de receber compensação adicional em cima dos US$ 20 milhões que ela já recebeu."


Não só isso, mas a casa de Mickey Mouse e dona da Marvel afirmou que ao se opor ao lançamento híbrido e processar a Disney - algo que eles descreveram como "triste e angustiante" - Johansson estava demonstrando "negligência insensível com os efeitos horríveis e prolongados da pandemia global da covid-19."


Quais as consequências do processo?


Por enquanto, é difícil saber quais serão as consequências a longo do prazo do processo, mas diversas figuras em Hollywood estão se manifestando por trás (e em alguns casos à frente) das câmeras. Um deles é Kevin Feige, presidente do Marvel Studios.


Segundo Matthew Belloni, ex-editor executivo do Hollywood Reporter, Feige está "com raiva e envergonhado" com a situação. O jornalista diz que o presidente da Marvel foi contra a decisão da Disney de colocar Viúva Negra no streaming e queria preservar o relacionamento do estúdio com Johansson, com quem ele trabalhava desde 2010 em Homem de Ferro 2.


Ninguém do Marvel Studios, entretanto, se manifestou publicamente por hora.


A resposta da Disney também foi fonte de polêmica. Bryan Hourd, um dos presidentes da Creative Artists Agency (CAA), a firma que representa Johansson e diversas outras estrelas de Hollywood, o estúdio acusou a atriz "falsamente e sem vergonha ao chamá-la de insensível quanto à pandemia global da covid numa tentativa de fazê-la parecer alguém que eles e eu sabemos que ela não é."


O agente não parou por aí. Na mesma declaração, ele diz que Johansson trabalhou com o estúdio em nove filmes e gerou bilhões de dólares para a empresa e seus acionistas. Ele também acusa a Disney de "deliberadamente mover sua fonte de renda e lucros para o lado da empresa do Disney+, deixando os parceiros financeiros e artísticos fora de sua nova equação."


Para contribuir, Justin Kroll do Deadline diz que os acordos da Disney para produções do Disney+ que não são da Marvel têm sido brutais com os atores e talento envolvidos. O estúdio estaria oferecendo números baixíssimos.


A Disney vai ser processada por mais atores?


De acordo com a Variety, outros agentes e atores estão torcendo por Johansson por trás das cenas. Algumas estrelas estão se inspirando na intérprete da heroína e considerando tomar medidas legais contra a Disney. Segundo o Screenrant, algumas dessas são Emma Stone, de Cruella, e Emily Blunt, de Jungle Cruise. Ambos filmes também foram lançados de forma híbrida com cinema e Disney+.


Johansson também pode abrir um precedente para atores de outros estúdios. Denzel Washington (Pequenos Vestígios), Christopher Nolan (TENET), Dennis Villeneuve (Duna), Gal Gadot e Patty Jenkins (Mulher-Maravilha 1984) estão entre os nomes que já criticam a Warner Bros. por conta da estratégia da empresa de lançar seus títulos de 2021 de forma híbrida com o HBO Max. Enquanto esses casos podem não ir parar no tribunal, o relacionamento entre talento e produtora certamente foi abalado.


Quem vai ganhar o processo?


Segundo o Hollywood Reporter, apesar do suporte, o argumento de Johansson não é o mais forte. O processo diz que o contrato da atriz garante um lançamento exclusivo nos cinemas de Viúva Negra, mas o contrato não diz, explicitamente, a palavra "exclusivo." Com isso, a Disney pode argumentar que a estreia híbrida ainda honra o acordo.


A publicação afirma, ainda, que diversas disputas entre atores e estúdios são resolvidas por trás das cenas e que o fato de Johansson ter levado o caso a público pode indicar que seus representantes identificam a fraqueza no argumento. Essa é a razão, inclusive, pela qual Johansson está processando a Disney e não a Marvel especificamente. Ela certamente tem uma uma cláusula de que não pode processar o Marvel Studios em seu contrato.


É cedo demais para saber se este processo será resolvido nos bastidores ou se irá para julgamento. Neste último cenário, a Disney ainda parece ter a vantagem.