.
.

Quentin Tarantino define cena do talk show de Coringa como "subversão massiva"

Diretor falou sobre o filme dirigido por Todd Phillips no podcast da Revista Empire ao lado de Edgar Wright

Quentin Tarantino participou ao lado de Edgar Wrigth do podcast da revista Empire e falou sobre Coringa, filme dirigido por Todd Phillips. O diretor falou com mais detalhes sobre a cena do talk show.

"Quando chegamos na cena do talk-show, você pode sentir a atmosfera do estúdio muda completamente. É uma subversão massiva, e o mais profundo é que não é apenas suspense, não é apenas fascinante e excitante, mas o diretor deixa bem claro que o Coringa é completamente maluco. O personagem de Robert De Niro não é um vilão. Ele parecia ser um idiota, mas no mesmo estilo do David Letterman. Ele é um comediante idiota, mas não merecia aquela morte.”

Tarantino elogia o trabalho de Todd Phillips e conta que o diretor fez o público pensar como um lunático. "Ao mesmo tempo, as pessoas queriam que o Coringa fizesse aquilo. As pessoas queriam que ele pegasse aquela arma. E se o Coringa não tivesse tomado aquela decisão, o público teria se decepcionado. Novamente, é uma subversão massiva. O diretor fez o público pensar como um lunático.”

No entanto, o diretor demonstrou não ter se entusiasmado com o filme no geral. “É o lugar que vivemos agora? Pegar grandes filmes dos anos 70 e refazê-los como artefatos de cultura pop? Taxi Driver em ‘Coringa’, Apocalypse Now em ‘AD Astra’… São artefatos da cultura pop, feitos a partir de filmes desafiadores de outros tempos.”